Os SMS's ao serviço dos jovens com doenças crónicas

10 de julho de 2008

Picture Captions

Conseguir que os jovens se lembrem de tomar os seus remédios poderá estar apenas a um SMS de distância! Um grupo de médicos de Cincinnati está a tentar encontrar uma forma de lidar com o facto de os adolescentes com doenças crónicas como a asma, diabetes ou patologias renais revelarem dificuldade em seguir as prescrições médicas.

Trata-se de uma idade propícia a episódios de raiva, por vezes rebeldia, e é a altura quando os adolescentes menos querem sentir-se diferentes dos seus colegas, seja por causa da medicação, de dietas especiais, ou outros tipos de terapia.

Alguns estudos sugerem que, em média, apenas metade dos adolescentes seguem os tratamentos da forma prescrita, refere o Dr. Dennis Drotar, do Cincinnati Children's Hospital. Quanto mais medicamentos forem necessários, ou quanto mais incómodos forem os efeitos secundários, menos os jovens aderem às terapêuticas. Entre os adolescentes sujeitos a transplante renal, os adolescentes são o grupo etário com o pior prognósticoa, diz a Dra. Marva Moxey-Mims.

Foi então que a Dra. Maria Britto, uma especialista em asma do Cincinnati Children's, reparou que, mesmo durante as consultas, os seus pacientes adolescentes continuam a mandar e receber sms's nos seus telemóveis. E foi aí que surgiu a ideia de criar um estudo para analisar se um lembrete diário enviado para o telemóvel dos pacientes, através de sms, melhoraria a capacidade de adolescentes asmáticos controlarem a sua própria doença. Afinal, refere a médica, os seus pacientes de 12 anos já têm telemóvel, independentemente da sua classe social.

O teste piloto já começou, estando previsto um estudo mais alargado para o final do ano.

Ler artigo.

1 comentários:

Susana Carinhas disse...

E viva as novas tecnologias ao serviço da saúde!!:D:D:D