Centenas de rins são rejeitados anualmente

12 de julho de 2010

Anualmente, centenas de rins são rejeitados porque podem estar infectados com hepatite C, mas poderiam ser utilizados nos pacientes com hepatite C que se encontram em lista de espera para um transplante renal, de acordo com investigadores de Johns Hopkins.

De facto, nos EUA, desde 1995, mais de 3500 rins foram "deitados fora" por estarem infectados com hepatite C. No entanto, destes 3500, mais de 1000 eram provenientes de dadores que seriam considerados "perfeitos", não fosse o facto de estarem infectados com hepatite C.

O pequeno risco de um paciente com hepatite C morrer depois de receber um rim infectado com hepatite C é compensado pelo risco de ter que esperar por um rim não infectado, refere o Dr. Dorry L. Segev, professor de cirurgia da Johns Hopkins University e responsável por este estudo, apresentado recentemente.

Esta equipa descobriu que um terço dos centros de transplante nos EUA não utilizam nenhum rim que esteja infectado com hepatite C em pacientes infectados com hepatite C. Por outro lado, 13% dos centros, tinham exactamente esta prática.

Estes pacientes poderiam beneficiar com um prolongamento da sua esperança de vida e um aumento da sua qualidade de vida, ao deixarem a diálise e realizarem um transplante.

Hoje em dia há que procurar cada vez mais formas de aumentar a quantidade de órgãos disponíveis para transplante, e esta seria apenas mais uma forma!

Fonte: http://www.businessweek.com/lifestyle/content/healthday/637634.html

1 comentários:

Ministério disse...

Olá blogueiro,
É muito importante também incentivar a doação de órgãos e conscientizar as pessoas sobre a importância deste gesto de solidariedade.
Para ser doador de órgãos não é preciso deixar nada por escrito. O passo principal é avisar a família sobre a vontade de doar. Os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. Divulgue a ideia e salve vidas!
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br
Ministério da Saúde